Organização financeira

Organização financeira

Ser organizada financeiramente é passo essencial para fazer ainda mais sucesso como revendedora. Ao cuidar melhor do seu dinheiro, você mantém seu capital de giro em dia (ou seja, seu dinheiro circulando) e tem tranquilidade para se dedicar cada vez mais à revenda de semijoias.

Dentre as muitas formas de se organizar, separamos algumas dicas para que sua caminhada rumo à independência seja um sucesso. Quer conferir?

1. Separando o pessoal do profissional.

Quando somos revendedoras, precisamos ter cuidado dobrado com o que gastamos. Isso porque, mesmo que estejamos ligadas a uma empresa, é comum vermos todo dinheiro que entra como algo para se gastar livremente. Acontece que, embora você tenha liberdade para administrar suas vendas e seus horários, é importante pensar que você tem um valor mensal a receber, como um salário, que será o seu orçamento pessoal. Se, no final do mês, o lucro for maior do que você imaginou, terá um extra para gastar sem peso na consciência e sem deixar de cumprir com suas responsabilidades. Quando gastamos sem controle, não conseguimos chegar ao final do mês com o dinheiro suficiente e achamos que não estamos lucrando com a revenda. Na verdade, só precisamos nos organizar!

2. Registrando despesas e receitas

É praticamente impossível você determinar esse valor ideal de retirada sem acompanhar suas entradas e saídas de vendas, por isso seu primeiro passo é registrar tudo. Faça uma planilha e separe as despesas em dois tipos: as fixas (aquelas que você precisa pagar todo mês, como luz ou água) e as variáveis (como uma roupa que você comprou no cartão). Essa separação vai permitir calcular o total que precisa honrar todos os meses e, consequentemente, seu faturamento mínimo. Com as despesas e receitas relacionadas, você consegue analisar quais os gastos que pode diminuir, o seu lucro mensal, programar seus pagamentos e definir seu crescimento.

3. Elaborando um fluxo de caixa

O fluxo de caixa é a distribuição daquilo que você recebe e do que você precisa pagar continuamente. Muitas vezes você tem lucro, mas a entrada de dinheiro ocorre depois dos prazos de pagamento vencidos, o que te obriga a atrasar seus compromissos, fazer empréstimos ou usar o cheque especial. Por isso, é preciso relacionar os pagamentos e recebimentos por data de maneira que, se você observar valores negativos, pode mudar seu planejamento e vencimentos de maneira organizada, sem causar prejuízo.

4. Programando um orçamento

Orçamento é uma estimativa de gastos ao longo do tempo. Se o fluxo de caixa (explicado no item anterior) relaciona suas despesas por data, o orçamento prevê os seus gastos futuros, planejando-os. Ou seja, basta usar as despesas que registrou para programar seus investimentos e prever seus ganhos nos meses seguintes. Para isso, é importante trabalhar com margem de erro e criar reservas, separando uma porcentagem do seu ganho por mês para possíveis despesas que não podem ser planejadas. Dessa forma, você conseguirá evitar ainda mais imprevistos.

5. Proteja seu negócio

Por fim, cuide das suas revendas. Não venda fiado para quem você não conhece ou para aquela pessoa que você não costuma ver sempre. Conhecer o cliente é muito fundamental, pois não adianta se organizar com planilhas se você não receber os pagamentos. Fique atenta e descubra a melhor maneira de lidar com cada pessoa, sabendo conversar e sendo organizada. Anote suas vendas em um local destinado para isso, com nome do cliente, peças vendidas e valores. Além disso, não se esqueça de ter o contato de quem compra os produtos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *